Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Loulou

"To live a creative life, we must lose our fear of being wrong"

Loulou

"To live a creative life, we must lose our fear of being wrong"

Ser Mulher...

... é difícil de descrever o que é ser-se mulher.

Para começar é extremamente cansativo e aborrecido. Senão vejamos...

Começa-se logo desde que se nasce. Se é rapariga rosa, rapaz azul. E se os pais gostarem do laranja?

Começa-se a crescer e novamente somos catalogadas...

 

Quem se lembra dos livros diferenciados para meninas e meninos? Ah... o rapaz é mais ciências e matemáticas... as raparigas é mais as florezinhas e os animaizinhos... Seremos burrinhas? Quem disse que nós não podemos ser analíticas e criativas ao mesmo tempo? Que eu saiba... somos as que mais facilmente conseguem fazer várias.... e volto a sublinhar... várias tarefas ao mesmo tempo.

Meninas brincam com brinquedos de meninas e não de rapazes... As meninas também gostam de subir às árvores, de brincar à apanhada, aos índios e cowboys...

Entra-se na puberdade...

... e é a via sacra... numa versão muito feminina... Dolorosa... é o aparecimento da menstruação, das borbulhas que aparecem nas alturas menos convenientes. E se há dias em que uma pessoa acorda e sente-se que nem um autêntico calhau... que nem a melhor das make-ups consegue disfarçar. As ditas alturas do mês... TPM's... ou estás com o benfica?! No coments... nada de ferir susceptibilidades alheias... porque nem todas são do glorioso...

A primeira ida ao ginecologista. Passa à frente... O ter de se usar pela primeira vez um soutien... algo desconhecido e desconfortável, que até então só se via pendurado no estendal e não se ligava muito. Apesar da mãe, avó e tia terem já abordado o tema... mas sempre visto como uma coisa a longo prazo.

Do... se comes isto vais inchar que nem um porco... porca! Esta acompanha-nos a vida toda. Ou não vivêssemos numa sociedade voltada para o culto da beleza e da eterna juventude.

Os estudos...

Ainda que apresentemos as melhores notas finais nos respectivos cursos, na hora de se arranjar um emprego. E já nem me refiro ao emprego de sonho... somos preteridas por um rapaz. E isso vê-se em muitas folhas salariais.... todos os finais de mês.

E se é chegada a hora de cortar nas despesas... a probabilidade de se engrossar a lista do desemprego nacional... é grande, muito grande! 

Depois vem os namoricos...

...e o mundo volta a ter cor, som, calor! Mas também é sol de pouca dura. Há que ser-se sensual, mas discreta... nada de poucas vergonhas ou é-se logo catalogada de pu****, de oferecida...

Se nos casamos...

... ganha-se um companheiro, mas também mais trabalho. Não basta o dia passado no emprego e todas as metas que todos os dias têm de ser ultrapassadas. Há que se mostrar mais eficiente e inteligente que o colega do lado. Para "agradar" o chefe. O agradar o chefe... cuidado que ele pode ler nas entrelinhas algo que não é aquilo que se quer passar... 

Depois de um dia de estafa... chega-se a casa e  se não se tem a sorte de ter-se alguém ao lado que não tenha medo de arregaçar as mangas e de pôr as mãos na massa...  está tudo para fazer. Filhos incluídos. Abençoados pais que ensinam os seus filhos (rapazes) a não terem vergonha das lides domésticas e de saberem cozinhar, passar a ferro, e todas as restantes tarefas próprias de uma casa... 

Se não nos casamos...

...ou não temos filhos. Ui... postas de lado?! Logo... Nem para tia servimos. É lésbica?! E se for? E se não for e decidiu não se casar? Ou por uma razão qualquer médica não poder ter filhos? É-se menos mulher? Parece que sim... muitas de nós pensam-no e pior... dizem-no. Até para iguais a nós, do mesmo género, somos más. Estou a lembrar-me no caso dos concursos. A maioria ganha sempre por homens... quando a maioria a votar são mulheres...

Depois vem a meia-idade...

... a terceira e a quarta idades. E o mundo parece que acaba. Vem a menopausa e os transtornos a ela associados. As maleitas ditas próprias da idade. 

Deixamos de ser jovens, bonitas e passamos a ter rugas e somos chamadas de tias (aqui com outra conotação) ou de avós... Ainda que tenhamos a sorte de ter uns trocos e com isso recorrido a plásticas e estejamos todas quitadas... aos olhos da sociedade continuamos a ser velhas, acabadas. Parece que não temos mais nada para aprender e ninguém parece estar interessado no que pensamos ou queiramos partilhar...

Reforma-te que tens de dar lugar aos mais novos... Já só servimos para fazer bolinhos e tomar conta dos netinhos. 

Outra... Os avós fazem sexo???? Que horror....

A sexualidade passa a ser um tema tabu. 

E um dia tudo acaba...

... e fazemos parte de uma qualquer estatística em que as mulheres vivem mais anos que os homens.

 

É isto... ser-se mulher...

Poder-me queixar, me expressar por quem não pode fazer... Ser livre e ter a sorte de viver num pais democrático! Poder escolher a vida que quero ter e com quem quero passar. 

Que bom que é ser mulher!

pexels-photo-272976.jpeg

 

"Nada mais contraditório do que ser mulher...

Mulher que pensa com o coração,

age pela emoção e vence pelo amor.

Que vive milhões de emoções num só dia

e transmite cada uma delas, num único olhar.

Que cobra de si a perfeição  

e vive arrumando desculpas

para os erros daqueles que ama.

Que hospeda no ventre outras almas,

dá à luz e depois fica cega,

diante da beleza dos filhos que gerou.

Que dá as asas, ensina a voar

mas não quer ver partir os pássaros,

mesmo sabendo que eles não lhe pertencem.

Que se enfeita toda e perfuma o leito,

ainda que o seu amor

nem perceba mais tais detalhes.

Que como uma feiticeira

transforme em luz e sorriso

as dores que sente na alma, 

só pra ninguém notar.

E ainda tem que ser forte,

pra dar os ombros

para aqueles neles precise chorar.

Feliz do homem que por um dia

souber entender a Alma de Mulher!"

 

                                           Fátima Ayache

459078c5e20ab6881c0fe39e95849eaa.jpg

 Um dia só é pouco... Todos são dias da Mulher!

 

 

6 comentários

Comenta

Mais sobre mim

foto do autor

Loulou no instagram

Loulou no pinterest

Blogs Portugal

Loulou no facebook

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Pesquisar

 

Comentários recentes

  • Marta Elle

    Não tenho problemas em comer plantas, mas insetos ...

  • Loulou

    Obrigada Anabela! Fiquei sem palavras...

  • Loulou

    Sinceramente... a única coisa que posso pensar de ...

  • Anabela

    Ui, não tem sido fácil a vida do Kiko. Mas teve mu...

  • Marta Elle

    Ainda há bocado, num programa da RTP, estavam a di...

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D